pesquise no blog

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Site atualizado

Nosso site está atualizado. Finalmente, conseguimos disponibilizar alguns materiais que sempre quisemos, mas nunca havíamos conseguido disponibilizar. Nas páginas de nossas 10 criações (das quais, 02 vão estrear nesse 2019), é possível fazer download dos programas das temporadas de estreia, bem como - em alguns casos - o download da dramaturgia.



Na aba "Outras realizações", fizemos um breve resumo da nossa Mostra Hífen e também de duas ocupações que realizamos (a primeira em 2013, comemorando 5 anos da companhia, e a outra em 2016, logo após termos feito 7 anos).

Acessem: www.teatroinominavel.com.br !!!

Algumas palavras para um 2019 inominável

Para vislumbrarmos um ano novo inominável - após 10 anos de existência - cada um dos nove integrantes do Teatro Inominável sugeriu uma palavra-guia para as nossas ações e movimentos neste 2019. São elas:


Andrêas Gatto (Fluxo), Clarissa Menezes (Resistência), Diogo Liberano (ZOMbaria), Flávia Naves (Kairós), Gunnar Borges (Totalidade), Laura Nielsen (Desvio), Márcio Machado (Lucidez), Natássia Vello (Estratégia) e Thaís Barros (possível).

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

2018: ano inoperante

O que fizemos em 2018? Existimos. Sem a opressão do ter que fazer, do ter que realizar, do ter que ter que ter que. O que fizemos? Abandonamos as exigências, as finalidades, nos livramos – alegremente – dos objetivos a alcançar. Juntxs e separadxs, separadamente juntxs, o que fizemos em 2018 foi existir apenas, sem mistificações. E percebemos, ao fim de um ano, que sobrevivemos, que aquilo que nos une, antes de ser o trabalho, é mesmo o desejo radicalmente honesto de estar; estar em companhia.

Foi então, 2018, algo sobre a (nossa) potência do não. Sobre compreender que todas as dificuldades de produção, de agenda, toda a luta individual dos inomináveis para darem conta de suas vidas, tudo isso antes de ser um problema era um fato. Assim, aceitamos nossa condição e afirmamos aquilo que nos impossibilitava como uma marca que nos era, que nos fundava e ainda agora funda. Por isso livrarmo-nos de tudo para reconhecermo-nos: nós, cada um, cada uma, mas nós, sobretudo nós.






E eis que o novo ano se anuncia: temível ano de Jair Bolsonaro ocupando a Presidência de nosso Brasil tão machucado, tão saqueado e golpeado. Eis que chega o ano em que a cultura brasileira, mais que antes, está na mira das metralhadoras, é alvo dos cortes, desvios e mil descasos. Nesse ano, neste profundo 2019 que agora chega, nossa força resplandece na mesma intensidade dos horrores por vir; ela está ainda mais abusada.

Descansamos em 2018 para nos gastarmos em próximos lances. Pois venha, 2019 – você já está atrasado, a gente já está realizando, se encontrando, compondo e criando. Da nossa impotência – a potência de termos podido fazer não – vimos nascer renovado o desejo que antes havia nos feito se encontrar. O desejo de criar, de desafiar o mundo e suas perversões, o desejo de dar um jeito – encontrar uma saída, um modo de – para ir adiante.

2018: ano inoperante.

29 de dezembro de 2018, feliz aniversário de 10 anos, Teatro Inominável !!!!!!!!!!

---

Por Diogo Liberano
Diretor artístico e de produção